Home Oncologia O IMPACTO DA NOTÍCIA: “Estou com câncer”…

O IMPACTO DA NOTÍCIA: “Estou com câncer”…

O IMPACTO DA NOTÍCIA: “Estou com câncer”…

O IMPACTO DA NOTÍCIA: “Estou com câncer”…

“Descobri que estou com uma doença, que é temida por quase todas as pessoas e da qual, jamais imaginaria, que iria ter” … (depoimento de um paciente)
Ter câncer não é nada fácil, mas quem disse que a vida é fácil, certo? Tudo na vida tem um sentido e um propósito, nada vem por acaso.
Realmente, a primeira coisa que vem à cabeça do paciente é que ele pode (ou vai) morrer da doença. “O momento em que você recebe o diagnóstico é o mais difícil, mais crucial. A grande maioria pensa que pode acontecer de morrer.
Esse pensamento pode gerar um isolamento, pois nenhum paciente quer ser visto com pena. É um choque. Um turbilhão de pensamentos e dúvidas surgem…
É natural que a notícia de uma doença como o câncer traga um impacto emocional importante. Não é possível afirmar, no entanto, que todos os pacientes entrem em depressão. O que acontece, em grande parte das vezes, é um estado depressivo, que é diferente. A depressão como diagnóstico é diferente da depressão como reação a um período em que se está sendo mais invadido por determinadas dificuldades.
Este momento geralmente é o momento do silêncio, do sentimento de vazio, dos questionamentos, que entre eles os mais importantes costumam ser: “Por que eu? Por que agora?
O diagnóstico de câncer continua se constituindo em um momento particularmente gerador de intensa angústia na vida de uma pessoa em função de uma série de aspectos que são mobilizados. A ruptura na forma habitual de vida, a incerteza e a insegurança de futuro, o caminho de um tratamento incerto, por vezes, doloroso e prolongado, associada ao estigma de uma época em que não havia tratamento disponível e a possibilidade da morte era iminente. Estes são aspectos determinantes na configuração de um estado de crise em que a fragilidade emocional torna-se uma esperada consequência.
O medo em relação ao câncer tem consequências importantes. Entre elas, o afastamento da possibilidade de diagnóstico precoce. Hoje sabemos que diagnóstico precoce e adequada intervenção imediata são elementos decisivos, que chegam a definir o prognóstico da doença. Em muitos casos, representam o diferencial para a cura.

O medo também pode ser representado pela existência de grande sofrimento psíquico. Vale lembrar que sofrimento, geralmente, não se restringe aos pacientes apenas, mas em muitos casos, estende-se a familiares, amigos e colegas.
Sofrimento emocional muitas vezes leva a pior evolução da doença, porque pode prejudicar a adesão aos tratamentos. O impacto do diagnóstico pode definir diversos sentimentos de difícil elaboração que variam de acordo com os recursos de cada paciente: a idade do paciente, dinâmica familiar, insegurança na relação médico-paciente, tipo de câncer, do momento de vida, de experiências anteriores e de informações que recebeu no convívio familiar, social e cultural que nasceu e desenvolveu.
Aprender sobre os efeitos emocionais do câncer pode ajudá-lo a lidar com este momento como também, pode ajudar você a entender e apoiar os outros através desses tempos difíceis.
Sentimentos de medo, incerteza, negação, raiva, culpa, estresse, ansiedade, solidão, isolamento, tristeza e depressão são uma parte normal da experiência de câncer. Também é normal sentir esperança, alívio, surpresa, aceitação e determinação. Você pode sentir algumas ou todas essas emoções em algum momento ou outro.
As pessoas muitas vezes, se sentem mais otimistas após o choque inicial do diagnóstico. A esperança permite que as pessoas lidem, com as dificuldades do momento presente e imaginem um futuro positivo. A esperança é muito pessoal – você pode achar que é fácil ser otimista ou você pode achar difícil permanecer com uma atitude esperançosa no momento de uma experiência difícil.
Embora a esperança seja muito importante para os pacientes e seus entes queridos, é importante equilibrar a esperança realista e falsas esperanças. Ter uma imagem realista do futuro, ajuda as pessoas a tomar melhores decisões sobre seu tratamento e qualquer plano de longo prazo.
Para alguns, um diagnóstico de câncer traz uma nova luz e dá um novo significado às suas vidas, o que pode inspirar a esperança, despertando a vontade de iniciar novos projetos ou fazer planos para o futuro que nunca tinham sido feitos antes.

A IMPORTÂNCIA DO APOIO TERAPÊUTICO NO DIAGNÓSTICO DE CÂNCER
A assistência psicológica busca o alívio emocional do paciente e de sua família, sendo que muitas vezes a ajuda a ser prestada implica numa mobilização de forças, em que a angústia e a ansiedade estão presentes, pois este Ser Doente encontra-se em um momento não escolhido de sua vida. (SANTOS, et al 2003).
A busca de um terapeuta, vem auxiliar o paciente no enfrentamento de sua doença, a fim de conscientizá-lo da sua condição atual e fornecer subsídios para uma compreensão melhor da sua patologia, do seu momento e suas dificuldades. Com a terapia, o paciente terá oportunidade para discutir seus medos em relação à doença e ao tratamento, buscar respostas adaptativas para a nova forma de ser, melhor adesão ao processo e adaptação às mudanças que ocorrerão nesta etapa. A terapia objetiva minorar o sofrimento da pessoa com câncer e por fim ajudá-lo a ressignificação da doença e a busca para um novo sentido de sua vida.
Abaixo trago para você, um quadro com considerações interessantes de um paciente, acredito que poderão ajudar.
Atenção, nosso próximo tema será “AS FASES DO TRATAMENTO ONCOLÓGICO”, onde estaremos juntos aqui. Até lá e o meu carinho para você!

5 MANEIRAS PARA AJUDAR A MINIMIZAR O IMPACTO DO DIAGNÓSTICO DE CÂNCER

1 – Agradeça tudo o que você tem
2 – Olhe para tudo de bom que há a sua volta todos os dias!
3 – Uma coisa de cada vez
Não é possível processar todas as informações e detalhes do tratamento. Leve o tratamento passo a passo. Preocupe-se com o estágio atual, não com o futuro. Dividindo o tratamento em etapas, e celebre cada etapa, comemorar cada vitória.
4 – Não se assuste com as estatísticas
5 – Se informe, mas não tanto
Encontre um meio termo, entre a informação que precisa para se sentir confiante, mas não tanto, a ponto de tornar uma obsessão e se preocupar ainda mais.

Dica: Gerencie seus exames, informações e interações com a equipe médica. Comece fazendo um fichário, organizado por tópicos para facilitar as anotações em cada consulta. Crie o seu banco de dados. Sempre se prepare antes de cada consulta de acordo com tudo que tenha anotado, sinta-se mais confiante para questionar os médicos sobre possíveis mudanças no tratamento. Estreite as relações com a equipe.
Tenha sempre em mente o que você quer que a sua vida seja, durante e após o tratamento. Nada disso torna seu tratamento mais fácil ou menos sofrido, mas com certeza ajudará a torná-lo mais viável para você e para aqueles que estão envolvidos.

5 ASPECTOS SURPREENDENTES DO DIAGNÓSTICO DE CÂNCER

O câncer é cheio de surpresas. Nenhum de nós pode estar totalmente preparado, mas podemos ajudar uns aos outros a descobrir o que esperar… Pelo menos um pouco!

Eu não seria capaz de colocar em palavras minha surpresa ao ouvir “você está com câncer”, mas eu poderia escrever um romance sobre todas as coisas que me surpreenderam sobre ter câncer.

É como se todos os dias uma nova surpresa estivesse esperando por mim a cada esquina, como os efeitos colaterais do tratamento, a evolução da doença ou apenas como eu me sentia emocionalmente. Algumas das maiores surpresas que eu tive foram:

1 – Eu não sabia nada sobre o tipo de câncer que eu tinha
2 – Eu era uma “paciente com câncer” um tanto diferente do que eu esperava ser
3 – Eu não estava preparada para os efeitos colaterais, físicos e emocionais
4 – Eu não fazia ideia de quanto cabelo poderia perder
5 – Eu experimentei uma série de mudanças em meus relacionamentos

A verdade é, porém, que ninguém pode realmente estar totalmente preparado. A jornada do câncer é diferente para cada um e cada um tem seus próprios pequenos momentos de “ei, eu não estava preparado para isso”.
Embora o câncer apresente todos os tipos de surpresas para você, você pode se surpreender com o quão forte você realmente é.

Uma paciente com câncer
Fonte: Oncoguia

 
Giselle Martins – psicóloga/CRP 15939
Experiência em empresas na Qualidade de Vida; No social com comunidades carentes em órgãos públicos; Na saúde com psico-oncologia. Palestrante, atuação clínica com abordagem em Psicologia