Home Oncologia Ao Paciente Inflamação da Cavidade Oral no Paciente em Tratamento

Inflamação da Cavidade Oral no Paciente em Tratamento

Inflamação da Cavidade Oral no Paciente em Tratamento

Inflamação da Cavidade Oral no Paciente em Tratamento

O paciente portador de neoplasia (câncer) submetido a quimioterapia ou radioterapia em região de orofaringe e cavidade oral frequentemente irá evoluir com mucosite de cavidade oral, ou seja, inflamação dos tecidos que revestem a boca.
No caso da radioterapia, isso ocorre devido a radiação aplicada todos os dias na mesma região para combater o tumor, e geralmente aparece próximo a metade do tratamento, mas ao termino das sessões, no período de 7 a 10 dias, a mucosa da boca irá se recuperar, podendo permanecer uma alteração de paladar.
No tratamento de quimioterapia, a inflamação da mucosa da cavidade oral poderá ser decorrente do próprio tratamento ou por baixa imunidade. No primeiro caso ocorrerá logo após aplicação do quimioterápico, no segundo poderá acompanhar o paciente por longo período, pois a resistência baixa propiciará infecção oportunista neste tecido da boca que já está inflamado, como é o caso de candidíase oral, também chamada de sapinho.
O uso de bebidas alcoólicas e o hábito de fumar são irritantes intensos e acentuam está inflamação da cavidade oral, dificultando a alimentação, provocando desnutrição e muitas vezes sendo necessário interromper o tratamento para o câncer. A higiene oral adequada é imprescindível para o controle bacteriano da flora da cavidade oral, dos sintomas de dor e dos sangramentos relacionados ao câncer, mas quando ocorre esta inflamação deverá ser realizada com bastante cuidado.
A camomila (Chamomilla recutita) tem demostrado propriedades anti-inflamatórias, auxiliando em cicatrização de feridas, atividade bacteriostáticas e antissépticas. Desta forma, o uso desta erva em forma de chá frio para realizar bochechos 3 vezes ao dia parece conferir importante redução dos sintomas relacionados a mucosite. Igualmente deve-se evitar alimentos muito ácidos, secos, duros ou picantes, restringir o sal e evitar alimentos ou preparações muito quentes.
Bochechos com uma solução na medida de uma copo de água com uma colher de sobremesa de bicabornato de sódio também podem ajudar no processo de reparação da mucosa bucal.
O cuidado adequado da boca é um grande aliado no tratamento do paciente oncológico.
Equipe Editorial do CAPO Bezerra de Menezes
Fonte: Evolução da mucosite oral após intervenção nutricional em pacientes oncológicos no serviço de cuidados paliativos. Rev. Dor. São Paulo, 2012 abr-jun;13(2):141-6